Mercado Imobiliário: Perspectivas para 2017

sexta-feira, Janeiro 20, 2017

O ano de 2017 começou com ótimas previsões para o mercado imobiliário. A pomessa é de vendas aquecidas, com maior percentual de investimentos. Isso se deve à alguns fatores que corroboram para a alta no setor que sofreu com a crise dos dois últimos anos. Isto significa que este também é o melhor ano para a compra da tão sonhada casa própria, visto que, há muito estoque e preços abaixo do nível, devido à pouca procura dos anos passados.  

Então, vejamos a seguir quais os principais fatores reponsáveis por colaborar com a alta das vendas e o bom momento para investir:

1- INFLAÇÃO À BAIXO DA MÉDIA: Segundo a Revista Exame a inflação brasileira saiu de 10,7% em 2015 para, aproximadamente, 7,2% em 2016. Para 2017, a previsão do mercado financeiro para a inflação é de 5,07%, conforme divulgação do Banco Central no último Relatório Trimestral de Inflação, documento que possui as expectativas para a economia. No entanto, Ilan Goldfajn, presidente do BC, comunicou que tentará conseguir atingir meta central de inflação de 4,5% estipulada para o próximo ano.

2- REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS: A taxa de juros, quando mantida alta, onera o crédito e colabora pra inibir o consumo das famílias e a injeção de capital das empresas, elementos mandatórios para a recuperação do crescimento da economia. Porém, ainda de acordo com o mercado financeiro, para 2017, a estimativa da taxa de juros é de 11%, o que presume uma queda maior neste ano.

3- PREÇOS NO MENOR NÍVEL: Por causa do estoque estacionado, o mercado tende a baixar os preços dos imóveis. Ainda que o consumidor esteja cauteloso quanto à compra de bens como imóveis e automóveis por causa da crise, a tendência é que o nível de desemprego para de piorar este ano. Com isso, as empresas tentarão manter os baixos preços a fim de atrair clientes, que por sua vez estarão criteriosos em relação à investirmentos, porém buscam segurança e preços baixos, o que abre um novo horizonte no mercado como um todo.

4- PIB: Outro fator que contribui para a recuperação do mercado imobiliário é o crescimento do PIB, posto que desempenha o papel de medir o comportamento da economia brasileira, além de ser a junção de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro. O Fundo Monetário Internacional (FMI) vê crescimento do PIB em 2017. O FMI estimou um avanço de 0,5% no PIB, contra uma projeção de crescimento nula feita nos dois últimos levantamentos do órgão.

Portanto, este ano promete ser um ano de investimentos, principalmente o segundo semestre de 2017, pois atendência é de alta na economia, facilitando as relações de compra e venda no mercado imobiliário.